quinta-feira, junho 02, 2005

Mamões

Como se sabe, o leão é um animal que não faz sexo durante dois anos, mas quando finalmente p(f)ode, "renbenta" tudo. E os dirigentes do clube leonino não são muito diferentes. Ou seja, durante anos nunca puderam gastar muito dinheiro, mas quando tiverem, rebentaram tudo com resultados pouco significativos, ao contrário do leão que aproveita melhor do que ninguém a situação.
Nos últimos anos tenho ouvido e comentado diversas contratações falhadas nos denominados "três grandes". Mas admito: penso que neste capítulo, o meu clube é sem sombra de dúvida o líder destacado. Senão vejamos, quando o Sporting decidiu cotar-se em bolsa, teve uma enorme injecção de capital e que lhe possibiltava estruturar um projecto que significasse a estabilidade do emblema num curto/médio prazo. Porém, isso não se sucedeu. Com os cofres cheios de alguns milhares de contos, senhores como Norton de Matos, Carlos Janela, Paulo Abreu, entre outros, decidiram adquirir o passe, por preços astronómicos, de jogadores sul-americanos de valor dúbio, sendo que na maior parte das vezes quase metade desse valor ia para comissões dos "olheiros", dirigentes, etc, etc. Temos como exemplo o Gimenez (600 mil contos), Carlos Miguel (800 mil contos), Hanuch (600 mil contos), Quiroga (400 mil contos), Kmet (700 mil contos) e, a cereja no topo do bolo, Tello por (1.2 milhões de contos). Esta última transferência, há quem garanta que o jogador chileno estava avaliado em 800 mil contos (o que continua a ser uma loucura face ao valos do chileno), e que o "resto" foi para comissões, especificamente para o "senhor" Luís Norton de Matos (que misteriosamente, após este negócio foi demitido e passou a gozar uma verdadeira vida de luxo). Também se comenta uma situação digna de Máfia dos anos 20 quando liderada por Al Capone: os próprios dirigentes e "olheiros" sportinguistas faziam negócios com os clubes vendedores, para que estes nunca revelassem o valor real dos jogadores, para que desta forma o "roubo" fosse menos óbvio. Claro que também houveram bons negócios, como por exemplo o Duscher, mas o ladrão inteligente é aquele que tenta não ser óbvio. Característica que os senhores atrás referidos, está visto, não possuem.
Com isto, pretendo apenas mostrar um sentimento imenso de raiva que tenho por todos estes "mamões" do passado que se aproveitaram do Sporting para encher os bolsos escandalosamente. E nem falo daqueles dirigentes que sabiam o que estava a acontecer e nada fizeram, tornando-se assim em verdadeiros "comandantes de Titanic".

3 Comments:

At 6/02/2005 07:01:00 da tarde, Blogger Distribuidor de Fruta said...

Infelizmente, caro amigo, isso acontece por todo o lado, e não apenas no Sporting.
Veja os exemplos do Pitbull e do Everson.

 
At 6/02/2005 10:31:00 da tarde, Blogger O Menino Afogado no Rio said...

Paulo Abreu, o homem do charuto, já tenho saudades desse senhor.

 
At 6/03/2005 01:17:00 da manhã, Blogger LEÃO DESDENTADO said...

Eu sei que acontece em todo o lado, mas penso que no Sporting se exagerou (contratações milionárias)e ditou o início do colapso financeiro que agora se vive para os lados do lumiar...

 

Enviar um comentário

<< Home