quinta-feira, abril 13, 2006

Meias-finais da "Champions"

Barcelona: "Magia"
Actualmente considerada das melhores equipas do mundo, de facto a formação espanhola é uma “máquina de jogar futebol”. A defesa é um pouco insegura e “vive” muito do capitão Puyol e do mexicano Rafael Marquez, que, com a lesão de Xavi - que jogador! -, "subiu" para o lugar de trinco. Já o guardião Vítor Valdez ainda não provou nada e ainda não conseguiu demonstrar razões para ser titular indiscutível do Barça. Já os laterais, atacam bem, mas defendem mal. Porém, “daqui para a frente” é pura magia: Iniesta, Van Bommel ou Motta são os médios centros que tentam dar a superioridade no ataque e na defesa e apoiam Deco - o mágico - que pauta de forma exemplar o jogo "Blaugranna". Depois temos o trio ofensivo constituído "só" por Ronaldinho, o melhor jogador do mundo e um dos melhores de sempre, Leo Messi, que, com apenas 18 anos é um fenómeno do futebol, e Samuel Eto’o, que é “apenas” dos melhores pontas-de-lança do mundo. De facto, um poder ofensivo avassalador, mas que tem demonstrado algumas dificuldades a defender (especialmente contra equipas mais ofensivas e que gostem de jogar com a "bola no pé").
AC Milan: "Experiência"
A minha equipa a seguir ao Sporting. Actualmente a formação transalpina é muito compacta e das mais equilibradas da Europa, uma vez que consegue aliar experiência (Maldini - o meu defesa preferido dos últimos 15 anos. Quem não se lembra dos seus "carrinhos"...? - , Cafu e Nesta), força (Gattuso e Stam), técnica (Kaká), trabalho (Seedorf), inteligência (Pirlo) e uma eficácia ofensiva demolidora (Schevchenko e Gillardino ou Inzaghi), para não falar na baliza que é defendida por um guarda-redes de reflexos incríveis e de créditos firmados (Dida). Todavia, refira-se que a defesa, apesar de muito experiente (mesmo velha - veja-se o exemplo de Costacurta), é bastante lenta (com excepção de Cafú, que entretanto está lesionado). Já o meio-campo é muito trabalhador, enquanto o “génio” de Kaká “fornece jogo” para Schevchenko – na minha opinião, o melhor avançado do mundo - e para o mortífero Inzaghi (ou então para o seu substituto, Gillardino, que já é considerado dos melhores pontas-de-lança italianos).
Barcelona - AC Milan. Aposto no pragmatismo e eficácia dos italianos.
Arsenal: "Henrydependência"
Totalmente dependente do avançado Thierry Henry. Apesar da equipa londrina ter jogadores de nível internacional como o médio Gilberto Silva, Robert Pires, Ljunberg, etc, o conjunto orientado por Arsène Wenger nunca teria atingido esta fase da “Champions” se não fosse o seu capitão que, por mais marcações que tenha, consegue sempre fazer uso da sua incrível técnica e velocidade. Relativamente à defesa, destaque para Ashley Cole e Sol Campbell que vão tentando "limpar" os disparates de Senderos e, muitas vezes, de Lauren. No meio-campo, de salientar a presença do jovem espanhol Fabregas, que já demonstra uma enorme inteligência em campo, e de Hleb e Van Pierse que começam a demonstrar o seu valor.
Villarreal: "Regenerados"
Riquelme, Riquelme, Riquelme. Há quem afirme que o genial médio argentino nunca conseguiu "vingar" na Europa e nunca conseguiu demonstrar todo o seu potencial. Mas este ano o internacional sul-americano (que chegou ao "Velho Continente" para alinhar pelo Barcelona) provou o contrário e tem sido o "farol" do "submarino amarelo". Técnica, inteligência e criatividade fazem de Riquelme o principal perigo deste Villareal. No entanto, também é importante destacar a presença dos avançados José Mari, Forlán, do ala esquerdo Sórin e dos médios Tachinnardi e Roger que, após terem sido "afastados" dos seus anteriores clubes, estão a provar no clube espanhol que são jogadores de enorme potencial. São as grandes surpresas da competição e não têm nada a perder.
Arsenal - Villarreal. Também um jogo de prognóstico reservado mas, apesar de querer que sejam os espanhóis a passar de fase, desconfio que sejam os ingleses a disputar a final.
N.R - Destaque ainda para o Lyon que voltou a perder nos quartos-de-final. Após ter sido afastado nesta fase da prova há dois anos pelo FC Porto, há um ano pelo PSV - num jogo vergonhoso! - , este ano, a equipa "montada" há cerca de quatro anos por Paul le Guen e treinada agora por Gerard Houlier, perdeu a eliminatória apenas a dois minutos do final do desafio em San Siro. Em todo o caso não queria deixar de escrever uma nota sobre uma das melhores equipas da Europa e que, de facto, tem tido bastante azar nas competições europeias nos últimos anos.

4 Comments:

At 4/13/2006 09:48:00 da manhã, Blogger tapa buracos said...

Queria só deixar uma nota pessoal.
Para mim o melhor jogador do mundo não é o Ronaldinho e sim 1 de 2 jogadores que vão estar presentes nestas meias finais:
Schevchenko.Falando em termos de carreira (especialmente ultimos 6 ou 7 anos) e regularidade (regular no sentido de ser sempre excepcional).
Henry. Jogador fora do normal, quando em boa forma ninguem lhe tira a bola dos pés e com a velocidade que tem parece que "vai de mota" (grd expressão, que se calhar se vai puder aplicar ainda melhor se o Arsenal for à final com o Barça).

 
At 4/13/2006 11:37:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

tu tens é mto tempo livrfe nas mãos......

 
At 4/13/2006 05:29:00 da tarde, Blogger LEÃO DESDENTADO said...

Para mim, o Ronaldinho é o melhor "do momento", mas de facto o "Shev" é um fenómeno inacreditável e um dos melhores avançados de sempre...

O Henry, tb é fabuloso mas penso que não atinge o nível do brasileiro e ucraniano.

 
At 4/14/2006 01:31:00 da manhã, Anonymous natalia said...

gostei muito do texto e queria indicar um site http://www.nk6.com.br/jogabonito
vale a pena dar uma olhada

abraços

 

Enviar um comentário

<< Home