quarta-feira, outubro 25, 2006

e depois do adeus?

Falaram aqui alguns comentadores mais azulados da dupla VV e da sua tentativa de imitar pc.
Falaram também da falta de humor que pc vem tendo, aventando que tal seria apenas notado pelos Benfiquistas...
Ainda bem que assim é.
Daqui a uns anos - talvez três ou quatro - quando o vosso "engenheiro-chefe" saír do comando (se é que ainda o tem) da casa tripeira, vamos ver que VV, ao pé de vale e azevedo, estão tão próximos do "pinóquio" como Sidney está de Lisboa.
Digo isto porque tenho a certeza - e uma fé inabalável - que quando pc saír restará apenas a memória.
A memória de vinte e tal anos de hegemonia, feita à custa de cafés e whiskizinhos, de fruta e chocolate, de apitos e outros ornamentos dourados.
Fica a memória de viagens ao Brasil, de produtos químicos em balneários, de guardas abéis, carolinas, camisolas rasgadas, roubos de igreja - e, acima de tudo, de Catedral.
Fica a memória de treinadores cuspidos, agredidos, ameaçados.

Dinheirinho? Não fica nenhum.
Futuro? O lugar a que realmente pertencem.

O Oliveirinha já apontou o caminho. Ontem já só 72% usaram as bitolas. 28%, curiosamente a mesma percentagem de portugueses a querer ser espanhóis, abriram os olhos.

Está quase.

E, depois do adeus?


N.A.: sempre me orgulhei de pertencer a um Clube maior que os seus presidentes. Talvez um dia saibam o que isso quer dizer.