sexta-feira, abril 15, 2005

Peseiro, o factor CB e... Beto no Real Madrid.

Pois é. Peseiro lá continua eufórico e inchado que nem um melão. Merece? Talvez. Ao mesmo tempo, jogando bem ou mal, fazendo as substituições certas ou erradas, sendo mais ou menos benfiquista, lá vai calando as vozes críticas do início da temporada dando alegrias e esperança à turba lagarta.
Arriscou muito ontem... e arriscou sobretudo no factor CB. Passo a explicar:

O factor CB é conhecido desde há cerca de duas décadas, quando o imperador César Brito enfiou duas batatas no traseiro de um dragão, apagando-lhe a fumaça e trazendo de novo a glória para a Capital do império. Mas, sobretudo, conseguindo renovar a sua imagem junto do imperador que, segundo consta o cobriu de oiro...
Ontem, Peseiro (talvez por ser lampião) arriscou. Meteu Pinilla.
E se Pinilla marcasse o golo decisivo?
Iam levar com ele mais uns tempos. E só depois de passar a cegueira iam perceber que a aura mágica tinha sido efémera.
Felizmente (para a lagartagem), Pinilla foi igual a si próprio.

Beto marcou um grande golo. De certeza que Florentino Perez o vai ver no Eurogoals. Nova esperança para o central? Madrid cai finalmente a seus pés?

Duas palavras para dois grandes jogadores: Rochenbach e João Moutinho.
Enchem o campo. Um mais parado com passes certeiros, o outro mais rápido a conduzir a bola para a zona de ataque. Ambos a ter lugar no meu Benfica (como suplentes de Petit e Manelelé).

Parabéns Sporting. Mostrem aos tripeiros que a UEFA está ao alcance de qualquer agremiação...